A MAJESTOSA REALIDADE DIVINA

O ser humano é um ente racional que pretende explicar as realidades da vida. Sua ambição vital é conhecer e tentar elucidar os fenômenos existenciais.
saber e o esclarecer fazem parte de uma tendência inata da espécie adâmica. Mas todos sofrem com a incompreensibilidade bem compreensível da inexplicável realidade divina.
A finitude lógica não consegue aceitar absolutamenteespantosa grandeza absoluta da natureza de Deus, embora não se canse de buscar explicações.
O absoluto é uma realidade sem limites e um termo impenetrável por definição. Como dizia Sto. Agostinho, “Deus é um círculo infinito, cujo centro está em toda a parte e cuja circunferência não está em parte alguma. Podemos saber o que Deus não é, mas os mortais não podem saber o que Deus é". Por este motivo, se Deus fosse explicado por uma mente limitada, ele estaria confinado abrangência de uma fronteira que não pode ser absoluta.

Deus é absoluto, mas não está em tudo. Ainda que a matéria tenha sido criada por Deus, Ele não é a criação. Como Criador, Ele cria. todas  as coisas, todavia a criatura não é o Criador.
O panteísmo não se caracteriza como atributo divino. Deus não é tudo, mas criou tudo. Por necessidade coerente, Deus é a causa de todas as causas, sem nunca ter sido causada. Ele é o único que é, e se Ele não fosse quem é de fato, coisa alguma poderia existir. Ele não necessita de nada, mas todas as coisas necessitam d'Ele.
A W Pink dizia que Deus não pode mudar para melhor, pois é perfeito; sendo perfeito, não pode mudar para pior”. A sua imutabilidade fala de sua perfeição, infinitude e aseidade. Ele não pode ser envolvido por qualquer conceito, sob qualquer aspecto, nem carece de qualquer coisa para ser quem é.Todas as razões de Deus provêm do próprio ser não criado de Deus. Nada lhe foi acrescentado, nada lhe pode ser tirado e nada muda em sua essência eterna.
Foi por isso que Tomás de Aquino se mostrou tão categórico: “o máximo que conhecemos de Deus é nada em relação ao que Ele é”. Um deus compreendido não é Deus.”Sempre que Deus está em ação, acontece o inexplicável”. O homem pode encontrar-se com Deus, mas nunca poderá explicá-lo.
Nenhuma palavra da Escritura Sagrada procura explicar a pessoa de Deus, pois ela é tida como certa. Deus é a melhor prova de si mesmo e a sua criação um atestado do seu poder e divindade. Como disse o pensador: “se a jóia pressupõe a existência de um joalheiro, o universo, necessariamente, fala da presença do seu Criador absoluto, que não pode ser explicado pela criatura, mas pode ser adorado pelos seus filhos extasiados com a majestosa grandeza da realidade divina”.

Glênio Fonseca Paranaguá